Site Overlay

Ação da holding ou controlada? Veja o que avaliar na hora de escolher

Investir nas ações de uma holding ou aplicar diretamente na companhia que ela controla? Esta é uma dúvida recorrente entre os investidores, que questionam se vale a pena escolher entre um destes ativos ou manter os dois na carteira. Vale dizer que holding é uma empresa dona da maior parte das ações ordinárias de uma outra empresa.

Segundo Luiz Guilherme Dias, CEO da Sabe Invest, na bolsa brasileira existem cerca de 18 holdings listadas. Muitas delas controlam grandes blue chips como o Banco Itaú (ITUB4), a Vale (VALE3) ou a Gerdau (GGBR4). Mas na hora de escolher, especialistas apontam que muitos fatores entram em jogo. Cada holding é um caso, por este motivo é importante ficar de olho nos fundamentos.

O primeiro passo é diferenciar qual é o modelo de negócios de cada companhia. Uma empresa, por exemplo, tem como missão gerar lucro por meio de um produto ou serviço, enquanto uma holding nada produz. Conhecida como “empresa mãe”, a holding gera valor aos seus acionistas por meio dos investimentos que faz em outras companhias e o controle que exerce sobre elas.

“Uma holding serve para administrar ou controlar empresas onde possui a maioria das ações ordinárias, o que lhe da direitos sobre as políticas empresariais”, explica Dias. Quanto maior o número de ações ordinárias (ON), maior o controle que a holding tem sobre uma companhia, porque estes papéis dão direito a voto em assembleias de acionistas.

Um exemplo é a Itaúsa (ITSA4), uma das queridinhas dos investidores. É uma holding diversificada que aplica em companhias de vários setores. Segundo o site de Relações com Investidores da companhia, as principais empresas do conglomerado são:

  • O Itaú Unibanco (ITUB4), do setor financeiro, do qual a Itaúsa detém 37,4% do capital.
  • A empresa de calçados Alpargatas (ALPA4), na qual a Itaúsa possui 29,2% das ações
  • A Duratex (DTEX3), produtora de painéis de madeira e louças e metais sanitários, cuja participação da holding é de 36,76%.

Ainda dentro do conglomerado, a Itaúsa tem participação de 7,7% da NTS, uma companhia de capital fechado que transporta gás natural. E em dezembro de 2020, concluiu a aquisição de 48,5% de participação da Copagaz, outra companhia de capital fechado, tornando-se acionista minoritária relevante.

imagem19-01-2021-23-01-26

Segundo o CEO da Sabe Invest, além da Itaúsa, as maiores holdings do mercado brasileiro são a Neoenergia (NEOE3), que controla companhias elétricas do Norte e Nordeste do Brasil, e a Suzano holding (NEMO3), que tem participação na Suzano (SUZB3), produtora de papel e celulose.

Qual é a função das holdings no Brasil?

Existem sete tipos de holdings, de acordo com as suas funções. Mas no Brasil, Dias esclarece que elas são criadas basicamente para dois objetivos:

  • Controle de companhias: por meio de participação no capital social (ações) de outras empresas,
  • Gestão de patrimônio: muitas vezes os donos de uma empresa criam uma holding para facilitar a gestão dos próprios bens. Isso porque uma holding patrimonial garante benefícios fiscais e sucessórios que um investidor pessoa física não tem. Neste tipo de holding, famílias com muitos bens podem centralizar a gestão do seu patrimônio.

4 vantagens de investir em holdings

Vale a pena investir na holding ou na controlada? A resposta para este questionamento, segundo os especialistas consultados pelo InvestNews, é depende. É necessário entender qual é nossa estratégia de investimento, se é de curto ou longo prazo e os fundamentos destas companhias.

De acordo com análise de Raphaela Olis e Luiz Carvalho da Flip Investimentos, entender a estratégia de uma holding pode ser um processo mais complexo do que avaliar os fundamentos de apenas uma empresa. Isso porque, além de analisar a gestão da holding e como ela administra seus investimentos, será necessário entender um pouco de cada companhia dentro do conglomerado.

Esta análise é essencial para entender se a estratégia da holding faz sentido ou não para a sua carteira. Usando o exemplo citado acima, se você optar por investir nas ações do Itaú (ITUB4), terá apenas que analisar os fundamentos do banco, o desempenho das ações e até mesmo a estratégia de dividendos.

Agora, ao investir em Itaúsa (ITSA4), você não está investindo apenas no Itaú (ITUB4) mas também em Alpargatas (ALPA4), Duratex (DTEX3), NTS e Copagaz. Por ser uma holding diversificada, o investidor terá além do setor financeiro, acesso a outros setores: gás natural, calçados e produção de madeira. A questão é: faz sentido para a sua carteira?

Se o seu objetivo é diversificar com baixo risco e no longo prazo, talvez esta seja uma boa alternativa, aponta a casa de análise. A diversificação de ativos seria a primeira vantagem de investir em uma holding. Além de estar exposto a ativos lucrativos que não estão listados em bolsa, por exemplo, no caso da Itaúsa tem a NTS e a Copagaz.

Outro beneficio é diluir o risco da aplicação, que pode ser maior se optar por apenas uma companhia.

Segundo levantamento da Sabe Invest, nos últimos cinco anos, a valorização das ações do Itaú (ITUB4) foi de 156,6%, enquanto as ações da Itaúsa (ITSA4) tiveram ganhos de 189,6%. Dias explica que na pandemia os bancos sofreram um impacto maior e tiveram seus lucros e receita prejudicados. “Quem comprou ações da Itaúsa conseguiu diluir um pouco dessa perda”, aponta. Veja na imagem:

imagem19-01-2021-23-01-27

Ele ainda faz uma analogia sobre as holdings e as compara a uma carteira de ações composta por setores distintos. “Investir em uma holding tem o benefício de diluir o risco, já que você está investindo em mais de uma companhia, mas tem a desvantagem de obter retornos maiores em empresas que estejam com desempenho destacado e forte valorização em bolsa”, aponta.

A Flip investimentos destaca outras duas vantagens:

Preços descontados no mercado: geralmente as ações da holding têm um preço menor que a companhia controlada por ela. No fechamento da quinta-feira (14), uma ação do Itaú (ITUB4) custava R$ 32,59, enquanto o papel da Itaúsa (ITSA4) fechou cotado a R$ 12,08.

Para quem gostaria de investir em Itaú mas não tem o dinheiro suficiente para comprar a ação, uma alternativa é aplicar em Itaúsa.

Outro benefício das holdings é a política de dividendos, que geralmente é mais generosa que a das empresas. Em 2020, o dividend yield da Itaúsa foi de 5,44% e o do Itaú foi de 4,08%.

imagem19-01-2021-23-01-28

Desvantagens

Para Dias, a principal desvantagem em investir neste ativo é que, em um cenário de forte valorização da bolsa e em consequência das ações de uma companhia, os retornos na holding são menores. “Ainda no exemplo de Itaúsa, se uma controlada como Alpargatas valoriza 10%, o seu retorno será proporcional à sua participação na holding, e será portanto diluído, caso o investimento tenha sido feito na holding“, explica.

Outro aspecto negativo é que como uma holding possui vários negócios, alguns podem ir bem e outros não. E o investidor fica exposto a ativos ou setores que muitas vezes não deseja ter na carteira.

E a controlada?

As controladas são as companhias nas quais a holding investe. Segundo Dias, esta é a melhor alternativa porque o investimento na controlada é individual e em consequência o retorno e o risco são facilmente medidos.

Além disso, é muito mais simples fazer a análise de uma companhia que você considera lucrativa e comparar esta com as concorrentes do setor.

Uma terceira vantagem é o retorno, que será exatamente o da ação e não o do percentual que a holding tinha desta. Citando o exemplo anterior, se a Alpargatas se valoriza 10% seu retorno será 10%.

Se você procura valorização no curto prazo, facilidade para analisar os fundamentos e se beneficiar com os lucros que uma companhia obtém pela sua atividade fim, é melhor escolher a controlada. “Se você quer ter um banco em carteira e está mais familiarizado com este modelo de negócio, compre o Itaú”, exemplifica Carvalho da Flip Investimentos.

Mas se você prefere ter menos risco, uma renda recorrente a longo prazo, e diversificar em vários setores, talvez seja melhor escolher a holding. “Se quer ter exposição ao setor financeiro mas também acredita que os demais investimentos da holding valem a pena, você compra Itaúsa”, acrescenta o consultor.

Veja também: Onde investir seu dinheiro em 2021? 5 casas de análise respondem

Mais cases

Obviamente, falar que Itaúsa é a “melhor holding brasileira” não é difícil para os especialistas. Especialmente por se tratar de uma holding diversificada que investe em companhias de diversos setores.

Dias, da Sabe Invest, afirma que a análise pode complicar quando falamos de holdings que controlam companhias de apenas um setor. Por exemplo, é o caso de Gerdau Metalúrgica (GOAU4), uma holding que controla a Gerdau (GGBR4) e também administra negócios de siderurgia e metalurgia no Brasil e no Peru.

Outro case é o Grupo Jereissati (JPSA3), que atualmente está concentrado do setor de shoppings, com o Iguatemi (IGTA3) como seu principal investimento.

Nestas situações, Dias aconselha olhar para os fundamentos, e de preferência optar pela controlada. Isso porque cada holding é um caso diferente. Segundo levantamento da Sabe Invest para o InvestNews, com exceção de Itaúsa/Itaú, os indicadores de balanço das companhias (patrimônio líquido, retorno do acionista e lucro) são semelhantes para a holding e para a controlada.

Mas o mesmo não ocorre com os indicadores de mercado, como o valor de mercado da companhia que em um futuro pode afetar o retorno ao investidor, quando a relação é de 3 para 1, se olharmos da controlada para holding.

Por exemplo, no caso de Gerdau (GGBR4), o valor de mercado da companhia é de R$ 39,7 bilhões, enquanto o valor de mercado da holding (GOAU4) é de R$ 11,7 bilhões. “As controladas valem mais do que os controladores”, reforça.

CompanhiaPatrimônio Líquido (R$ Bilhões) em 2020Resultado Líquido (R$ Bilhões) 2020Retorno do Acionista2020Valorização da ação em 5 anosValor de mercado em 31/12/20(R$ Bilhões) Itaúsa (ITSA4)57,63,58,1%189,6%100,4Itaú Unibanco (ITUB4)135,89,99,7%156,6%291,8Gerdau Metalúrgica (GOAU4)31,61,35,7%635,9%11,7Gerdau (GGBR4)31,51,35,6%460,8%39,7Grupo Jereissati (JPSA3)*3,10,14,5%17,1%2,3Iguatemi (IGTA3) 3,10,15,2%114%6,6

*Valorização da ação JPSA3 em 2,5 anos. Fonte: Sabe Invest

Por outro lado, olhando para potencial de geração de caixa e dividendos, Raphaela Olis, especialista da Flip Investimentos, enxerga mais benefícios nas holdings.

Gerdau (GGBR4)Gerdau Metalúrgica (GOAU4)Dividend yield1,20%1,49%Preço atual da ação/Ebitda14,394,11

No caso de Gerdau Metalúrgica (GOAU4), ela explica que o dividend yield é de 1,40%, superior ao retorno dos dividendos da controlada Gerdau (GGBR4) que é de 1,20%.

Outra vantagem da holding é o potencial de geração de caixa da companhia (preço da ação/ebitda), que é muito inferior se comparado com a Gerdau. “Esse valor está descontado e pode no futuro garantir mais valor de mercado e melhores dividendos”, aponta.

Ainda se olharmos para o preço da ação, a Gerdau (GGBR4) é negociada atualmente a R$ 27,72 enquanto o preço da Gerdau Metalúrgica (GOAU4) é R$ 12,46.

Conheça outras holdings negociadas na B3*

Alfa Consorcio (BRGE3)Itausa (ITSA4)Alfa Holding  (RPAD3)J B Duarte  (JBDU4)Atompar (ATOM3)Mont Aranha (MOAR3)Bahema (BAHI3)Neoenergia (NEOE3)Battistella (BTTL3)Par Al Bahia (PEAB3)Bradespar (BRAP4)Polpar (PPAR3)Cemepe (MAPT3)Suzano Hold (NEMO3)Cims  (CMSA3)Telebras (TELB3)Eletropar (LIPR3)Ultrapar (UGPA3) Habitasul (HBTS5)Investimentos Bemge (FIGE3)

*Fonte: Levantamento Sabe Invest