Site Overlay

Bolsa e moeda brasileiras são as mais desvalorizas nos primeiros meses de 2021

Nos dois primeiros meses de 2021, o dólar subiu mais em relação ao real do que sobre qualquer outra das moedas mais importantes da economia global. A moeda dos Estados Unidos tem alta acumulada de 6,42% sobre o real neste ano, contra 5,84% da segunda pior colocada na lista, a Argentina, que vive uma forte crise financeira e econômica. Já o principal indicador da bolsa brasileira, o Ibovespa, perde de todos os principais índices das Américas.

Os números são de um levantamento feita pela provedora de informações financeiras Economatica a pedido do InvestNews.

Os dados refletem a persistência das preocupações do mercado em relação à situação interna no Brasil, com preocupações sobre o rumo das contas públicas. A dívida bruta do país segue crescendo e deu novo salto em janeiro. De acordo com dados divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira (26), o montante chegou a R$ 6,67 trilhões, ou 89,7% do Produto Interno Bruto (PIB). Nesse cenário, incertezas sobre o avanço de reformas econômicas e sobre o cenário político seguem sob o radar dos investidores.

Veja abaixo a comparação do desempenho da bolsa brasileira comparada aos demais índices das Américas:

ÍndicePaísVariação em dólar em 2021 (%)Variação em moeda local em 2021 (%)IpsaChile11,66,64Sp/Bvl Peru GeneralPeru6,616,73S&P MervalArgentina3,190,36Dow JonesEUA3,173,17S&P 500EUA2,612,61ColcapColômbia2,210,84NasdaqEUA0,930,93Prec Y CotizMéxico0,23,74IbovespaBrasil-5,31-7,55

Veja abaixo a variação do dólar em relação às moedas de vários países no acumulado de 2021, segundo a Economatica:

PAÍSVARIAÇÃO DO DÓLAR EM 2021, EM %Brasil6,42Argentina5,84México5,18Japão2,77Suíça2,57Coreia do Sul2,27Israel1,8Filipinas1,42Suécia0,9Indonésia0,74Zona do Euro0,73Dinamarca0,69África do Sul0,62Peru0,61Rússia-0,4Chile-0,45Índia-0,8Taiwan-1,01China-1,11Turquia-1,8Noruega-1,97Canadá-2,02Austrália-3,62Reino Unido-3,8

Considerando o intervalo de 1 ano, o real é a segunda moeda que mais perdeu valor, com alta de 24% do dólar em relação à moeda brasileira. Nesse intervalo, o pior colocado é o peso argentino, com alta de 48% no período.

Veja abaixo a variação do dólar em 1 ano em cada país:

PAÍSVARIAÇÃO DO DÓLAR EM 1 ANO, EM %Argentina48,42Brasil24,67Turquia17,94Rússia13,32México9,29Peru6,78Indonésia1,59Índia1África do Sul-2,9Japão-3,96Israel-4,48Filipinas-4,52Canadá-5,75Suíça-7,37Reino Unido-8,1China-8,27Coreia do Sul-8,4Taiwan-8,44Noruega-10,26Zona do Euro-10,93Dinamarca-11,34Chile-12,37Suécia-15,09Austrália-16,93

Disparada do dólar na semana

Os dois últimos dias desta semana foram de forte disparada do dólar em relação a diversas moedas – inclusive o real. O motivo foi o pelo aumento da curvas de yields do Treasury nos EUA – ou seja, a subida da remuneração para os investidores de títulos de dívida do Tesouro norte-americano. O yield do Treasury de dez anos – referência para os custos globais de empréstimos.

Aumentos de juros de títulos reduzem a atratividade de ativos mais arriscados, como moedas emergentes (incluindo o real) e ações, uma vez que pioram a relação entre risco e retorno de manter ativos arriscados em carteira, enquanto melhora os retornos de um ativo considerado risco de base do mercado – os títulos do Tesouro dos EUA.

Segundo dados do Valor Pro, o dólar comercial terminou esta sexta-feira cotado a R$ 5,6087, o que representa uma alta semanal de 4,03%. Em fevereiro, o avanço ficou em 2,45%.