Site Overlay

Bolsa fecha em queda com cenário da Turquia e pandemia; dólar vai a R$ 5,51

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou em queda nesta segunda-feira (22), enquanto o dólar avançou frente ao real, refletindo o comportamento da moeda norte-americana contra outras divisas emergentes.

O Ibovespa fechou em baixa de 1,07%, aos 114.978 pontos. Já o dólar encerrou o dia em alta de 0,64% , cotado a R$ 5,5111. Veja mais cotações.

O desempenho do Ibovespa foi influenciado pela queda das commodities no mercado internacional, o avanço da covid-19 no Brasil e a crescente pressão sobre o governo Jair Bolsonaro por uma ação mais contundente no combate ao problema. Teve ainda a pressão em câmbio e juros.

Após um grupo de quase 200 economistas, entre os mais renomados do país, assinarem uma carta aberta solicitando medidas efetivas no combate à pandemia, o ministro da Economia, Paulo Guedes comentou sobre os resultados da arrecadação em fevereiro, que teve um crescimento real de 4,3% em comparação ao mesmo mês no ano passado.

Ele destacou a importância da vacinação em massa, para garantir a recuperação econômica e o retorno seguro das pessoas ao trabalho, especialmente os mais vulneráveis.

Guedes destacou ainda que além do auxílio emergencial, é obrigação do governo garantir a vacinação em massa nos “próximos três, quatro meses”.

Cenário externo

O dólar operou em alta em dia de cautela com moedas de países emergentes. Os ativos locais ajustam-se ao tombo da lira turca, na esteira da demissão do terceiro presidente do BC turco na sexta-feira (19), após decisão de juros acima do esperado no país.

Nesta segunda-feira (21), o mercado brasileiro reagiu negativamente à forte desvalorização da lira turca, que chegou a despencar 15% após o presidente do Banco Central da Turquia, Naci Agbal, ser substituído por decreto presidencial. É a terceira, vez desde 2019, que um presidente do BC do país é destituído do cargo.

O mercado turco não recebeu bem a notícia, tanto que o principal índice da Bolsa de Istambul chegou a cair mais de 8% no período da manhã, ativando dois circuit breakers (mecanismo que suspende os negócios para evitar oscilações muito bruscas).

Por volta das 17h30 (horário de Brasília), a lira turca era cotada em US$ 7,76, com queda de 7,18% em relação ao dólar.

O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, decidiu demitir Agbal no final de semana logo após o Banco Central aumentar a taxa de juros do país para 19%, na tentativa de conter a inflação do país, que avançou 15,6% em fevereiro.

No mercado financeiro, ocorre o debate de que este impasse na lira turca pode repercutir negativamente entre os países emergentes, tais como o Brasil, muito vulnerável pela inflação elevada e real desvalorizado.

Em entrevista ao InvestNews, o economista-chefe da consultoria Análise Económica, André Galhardo explicou que olhando para a nossa taxa de câmbio e os efeitos de uma inflação de custo, a situação brasileira é muito mais complexa que a própria Turquia.

Destaques da Bolsa

Entre os destaques positivos do dia, a maior alta foi do Pão de Açúcar (PCAR3) que avançou 5,05%, após forte salto na semana passada com o mercado recalculando seu potencial de crescimento após a cisão do Assaí e de olho na oferta de ações da Cnova.

Subiram também os frigoríficos Minerva (BEEF3) e Marfrig (MRFG3) que saltaram 3,26% e 2,44% acompanhando a forte valorização do dólar.

No lado oposto do índice recuaram as aéreas Embraer (EMBR3), Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) que desvalorizaram 7,44%, 6,10% e 3,63%, respectivamente com receio da recuperação econômica e avanço da covid-19.

Bolsas globais

Wall Street fechou em alta nesta segunda-feira, com as ações de tecnologia recuperando-se de uma recente liquidação provocada pela alta nos rendimentos dos Treasuries, e as ações da Tesla dando um salto depois de um fundo administrado por uma influente investidora da fabricante de carros elétricos dizer que os papéis da empresa podem aproximar-se do valor de US$ 3 mil até 2025.

Os ganhos da Tesla Inc forneceram um dos maiores aumentos aos índices S&P 500 e Nasdaq depois que a Ark Invest, fundada pela gestora de fundos Cathie Wood, ter aumentado seu preço-alvo na sexta-feira.

O índice Dow Jones teve alta de 0,32%, aos 32.731,20 pontos, o índice S&P 500 valorizou-se 0,70%, aos 3.940,59 pontos, e o índice Nasdaq teve alta de 1,71%, aos 13.086,51 pontos.

As ações europeias registraram ganhos nesta segunda-feira depois que os papéis de montadoras retomaram sua alta, enquanto bancos caíram após uma desvalorização da moeda turca e com a persistência de preocupações sobre mais restrições devido ao aumento dos casos de coronavírus no continente.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,26%, a 6.726,10 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,25%, a 14.657,21 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,49%, a 5.968,48 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,26%, a 24.262,84 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 1,76%, a 8.343,50 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,20%, a 4.838,76 pontos.

As ações da China terminaram em alta, sustentadas pelos setores de bancos e infraestrutura, depois que o banco central do país deixou inalterada sua principal taxa de empréstimo para empréstimos corporativos e domésticos.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 2,07%, a 29.174 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,36%, a 28.885 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 1,14%, a 3.443 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 1,00%, a 5.057 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,13%, a 3.035 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,74%, a 16.189 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,21%, a 3.128 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,66%, a 6.752 pontos.

* Com Reuters e Estadão Conteúdo.