Site Overlay

Bolsa sobe, com Eletrobras disparando mais de 6%; dólar fecha em alta

O Ibovespa, principal índice da B3, fechou em alta nesta sexta-feira (18). Já o dólar terminou o dia com valorização sobre o real, após ter voltado a cair abaixo de R$ 5, com expectativa de juros mais altos no Brasil. Os investidores avaliavam os desdobramentos em torno da MP de privatização da Eletrobras, com disparada da ação da empresa.

O Ibovespa subiu 0,27, aos 128.405 pontos. Veja a cotação do Ibovespa hoje. Na semana, o indicador caiu 0,8%.

O dólar subiu 0,92%, comercializado a R$ 5,0687. Na mínima do dia, a moeda foi comercializada a R$ 4,9824. A moeda passou a subir após o presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard, afirmar que a inflação nos Estados Unidos está mais intensa do que o esperado. Isso poderia elevar a taxa de juros no país mais rapidamente, o que alimenta uma tendência de alta do dólar sobre diversas moedas. Na semana, o dólar caiu 1,14%.

Ainda de olho nos juros

O mercado segue sentindo os reflexos da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) e do Federal Reserve (Fed), banco central dos Estados Unidos, na quarta-feira (16). No Brasil, o Banco Central promoveu a terceira alta consecutiva da taxa Selic, a 4,25%, e anunciou a intenção de dar sequência ao aperto monetário com uma nova alta de pelo menos a mesma magnitude em sua próxima reunião.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do BC também abandonou o uso da expressão “normalização parcial” para se referir ao atual ciclo de alta de juros, explicitando que pretende fazer um aperto maior do que vinha sendo sinalizado até então, levando a Selic para patamar considerado neutro.

Em nota, analistas da Genial Investimentos avaliaram que esses são todos sinais “positivos para a trajetória do real nos próximos meses, apesar da postura mais dura do Federal Reserve.”

O Fed antecipou para 2023 suas projeções para o primeiro aumento nos juros pós-pandemia e abriu a discussão sobre quando e como pode ser apropriado começar a reduzir suas compras mensais de ativos.

Destaques da bolsa

As ações da Eletrobras dispararam depois da aprovação do texto-base da MP que possibilita a privatização da companhia. O papel ELET3 subiu 5,98% e o ELET6subiu 5,94%.

Além do reflexo nas ações da empresa, Vanei Nagem, responsável pela Mesa de Câmbio da Terra Investimentos, disse que a notícia de conclusão da votação da MP da privatização da Eletrobras também ajuda o real a se valorizar frente ao dólar. “A aprovação da privatização da Eletrobras já ajudaria, mesmo com alguns gargalos, a atrair dinheiro para o mercado doméstico”, o que tende a beneficiar o real, explicou.

Já as ações da Petrobras fecharam em alta. PETR3 subiu 0,28% e PETR4, 0,68%. A empresa protocolou o pedido de registro da oferta secundária (follow-on) de 436.875.000 ações ordinárias de emissão de BR Distribuidora (BRDT3) que a petrolífera possui.

Bolsas mundiais

Wall Street

Os mercados acionários encerraram acentuadamente em queda nesta sexta-feira, com os índices Dow Jones e S&P 500 registrando seus piores desempenhos semanais em meses, tropeçando depois de comentários do presidente do Fed de St. Louis.

  • Dow Jones caiu 1,58%, para 33.290,08 pontos
  • S&P 500 perdeu 1,31%, para 4.166,45 pontos
  • Nasdaq recuou 0,92%, para 14.030,38 pontos.

Europa

As perdas nas ações de bancos e de energia foram exacerbadas por declarações do presidente do Fed de St. Louis, levando o índice STOXX 600 a interromper série de quatro semanas de ganhos diante dos temores de aperto monetário nos Estados Unidos.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 1,90%, a 7.017 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,78%, a 15.448 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 1,46%, a 6.569 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 1,93%, a 25.218 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 1,80%, a 9.030 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 2,28%, a 5.063 pontos.

Ásia e Pacífico

O mercado acionário da China terminou estável nesta sexta-feira, mas registrou a terceira queda semanal seguida devido a preocupações com os altos valores e com as tensões com o Ocidente.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,19%, a 28.964 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,85%, a 28.801 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,01%, a 3.525 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,01%, a 5.102 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,09%, a 3.267 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,41%, a 17.318 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,19%, a 3.144 pontos.

(*Com informações de Reuters)

Veja também: