Site Overlay

Investir em blockchain? Agora é possível com fundo do Itaú; saiba mais

Após disponibilizar o ETF de criptomoedas HASH11 da gestora Hashdex, o banco Itaú (ITUB4) deu mais um passo no universo dos criptoativos e anunciou o lançamento do seu novo fundo de blockchain, tecnologia usada na criação de criptomoedas.

O Itaú Index Blockchain Ações FX IE vai investir em aproximadamente 50 ações de empresas relacionadas a blockchain de 26 países, na sua maioria dos Estados Unidos e Japão, mas o fundo também terá exposição a companhias do Canadá, Europa, Taiwan, Coreia do Sul e Hong Kong.

O fundo tem 100% de exposição cambial, por este motivo é destinado apenas a investidores qualificados (com R$ 1 milhão ou mais investidos). A taxa de administração é de 0,8% ao ano, com aplicação mínima de R$ 1. No momento está disponível apenas para clientes do Itaú Unibanco.

As empresas que integram o fundo atuam em cinco segmentos: financeiro, tecnologia, consumo discricionário, comunicação e materiais básicos. Todas seguem critérios de elegibilidade como filtros de liquidez, relevância no uso da tecnologia blockchain e atuação no ecossistema cripto.

Entre as 10 empresas com maior relevância no fundo é possível encontrar players conhecidos como Coinbase Global, primeira exchange com ações listadas na bolsa americana Nasdaq, com um peso de 3,40% no fundo. E a Microstrategy, uma das principais investidores de bitcoin no mundo, com uma participação de 3,24% no ativo. Veja a seguir as 10 principais companhias do portfólio:

TOP 10 empresasSetorPeso (%)KakaoComunicação4,36GMO IntermetTecnologia da Informação4,31Taiwan SemiconductorTecnologia da Informação4,23Monex GroupFinanceiro4,22SBIFinanceiro4,09BitfarmsTecnologia da Informação3,86Hive BlockchainTecnologia da Informação3,66CME GroupFinanceiro3,48Coinbase GlobalFinanceiro3,40MicrostrategyTecnologia da Informação3,24

*Fonte: Itaú Unibanco