Site Overlay

Qualicorp fecha em queda de 14%; Minerva e Vulcabras disparam

O mercado financeiro operou movimentado nesta quarta-feira (11) em meio aos balanços financeiros divulgados na véspera pelas companhias. A Qualicorp encerrou entre as principais baixas do Ibovespa, o principal índice da B3, assim como a BR Distribuidora. A Marfrig fechou com leve alta, enquanto Minerva disparou no final do pregão. Positivo e Vulcabras, que não integram o índice, avançaram forte. Veja os destaques do dia:

Qualicorp

Após anunciar uma queda de 28,4% no lucro líquido do segundo trimestre, para R$ 90,3 milhões, a Qualicorp (QUAL3), empresa que atua no segmento de planos de saúde, intensificou a queda do inicio do pregão e fechou com desvalorização de 15,57%, negociada a R$ 20,50.

O BTG Pactual informou em relatório que os resultados do segundo trimestre da companhia foram mais fracos do que o esperado, prejudicados pelo churn (taxa de rotatividade) ainda alto e margens operacionais fracas. O Ebitda (lucro operacional) ajustado ficou R$ 201 milhões, 21% abaixo das projeções do BTG em R$ 255,2 milhões. O banco também estimava lucro líquido de R$ 123,3 milhões, valor 28% maior ante o valor reportado pela companhia.

O BTG afirmou que manteve recomendação neutra para o papel da companhia devido a “falta de um ponto de inflexão claro no curto prazo”, além disso reduziu o preço-alvo dos papeis de R$ 30 para R$ 27.

BR Distribuidora

A BR Distribuidora (BRDT3) diminuiu a queda superior a 4% contabilizada pela manhã, mas ainda assim caiu 3,36%, para R$ 27,62. A empresa reportou lucro líquido de R$ 382 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 103,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a companhia foi impactada pelas medidas restritivas impostas em função da pandemia da covid-19.

Minerva

A Minerva (BEEF3) disparou 14,65%, a R$ 9,94, após reportagem publicada pelo Valor Econômico, sem citar fontes, de que os controladores da companhia começaram a discutir a possibilidade fechar o capital da empresa.

Marfrig

A produtora de carne Marfrig (MRFG3) encerrou próximo a estabilidade com alta de 0,66%, negociada a R$ 19,69. A companhia registrou lucro líquido de R$ 1,73 bilhão no segundo trimestre deste ano, alta de 9% em relação ao montante de R$ 1,59 bilhão reportado em igual período do ano passado.

Positivo

Fora do Ibovespa, a fabricante de computadores Positivo (POSI3) fechou com valorização de 6,53%, cotada a R$ 13,38. A companhia registrou lucro líquido de R$ 51,5 milhões no segundo trimestre, contra prejuízo de R$ 8,6 milhões no mesmo intervalo de 2021.

Vulcabras

A fabricante de calçados e artigos esportivos Vulcabras (Vulc3) registrou valorização de 8,11%, a R$ 9,60, após registrar luco líquido de R$ 91,5 milhões, ante um prejuízo de 75,4 milhões no mesmo intervalo do ano passado.

Outros destaques

–  Itaú Unibanco (ITUB4) subiu 1,11% e Bradesco (BBDC4) avançou 0,39%. Analistas do BTG Pactual afirmaram que o feedback dos bancos sob sua cobertura é de que o efeito da reforma será mínimo nos lucros, uma vez que o fim do benefício fiscal via juros sobre capital próprio será compensado por um IR menor. No setor, BANCO INTER UNIT caiu 3,7% antes do balanço aguardado para após o fechamento da bolsa.

Copel (CPLE3) ganhou 1,98%, ampliando os ganhos em agosto antes da divulgação do balanço. Na véspera, a companhia de energia do Paraná disse que o governo do Estado quitou o saldo da Conta de Resultados a Compensar junto à empresa, de 1,4 bilhão de reais. Ainda, a Casa dos Ventos fechou dois contratos com Copel para compra e venda de energia.

YDUQS (YDUQ3) caiu 4,89% antes do balanço do segundo trimestre, previsto para esta noite. A XP Investimentos espera que o desempenho positivo dos segmentos premium e de ensino a distância compensem a pressão da divisão presencial, mas preveem pressão de margem devido a maiores despesas de marketing, visto que o ciclo de captação em 2021 foi mais longo do que o normal.

RD (RADL3), dona das redes de drogarias Raia e Drogasil, perdeu 3,98%, mesmo com forte alta do lucro trimestral, que refletiu expansão das receitas sobre uma baixa base de comparação e efeitos extraordinários.

–  Vale (VALE3)  cedeu 0,72%, mesmo em dia de alta dos contratos futuros do minério de ferro na China, bem como dos futuros do aço em meio a temores relacionados à oferta. No setor, Gerdau (GGBR4)  avançou 1,07%.

*(Com informações da Reuters)

Veja também